segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Á 21 anos atrás, nasceu a pessoa que viria a ser o meu mais que tudo. Aquela pessoa que escolheríamos para sobreviver, se só pudéssemos escolher uma.
Lembro-me que tinha 8 anos e que quando acordei a minha avó estava lá para me dar a boa nova. E eu saltei, cantei e dancei em cima da cama: "O meu irmãozinho já tinha nascido." E a partir dai foi a historia do amor incondicional, que qualquer irmã mais velha, que viu o irmão crescer, que contribuiu para a sua educação e o seu bem estar, tem.
Eu e ele somos como agua e azeite, não podíamos ser mais diferentes. Mas lembro-me de episódio tão caricatos da nossa vida, como as férias de família, o facto de a minha mãe, quando ainda dividíamos o quarto ter feito um horário de utilização, da nossa TV do quarto, porque nos andávamos sempre ao barulho, a disputa-la. Da nossa viagem a Miami, da última a Bristol, de como aos 5 anos, estiveste mal, depois de uma operação simples não ter corrido como o planeado, de todas as vezes que ficaste doentinho, das coças que me costumavas dar, quando tiveste a febre do Wrestling. Das noitadas em minha casa, a ver series e filmes.São tantas as memórias e todas recordadas com tanto carinho. Espero que nunca acabem, que nada nos separe, que sejas sempre saudável e feliz. Espero estar lá sempre, sempre para ti (só te largarei na lua de mel) e espero que de vez em quando te lembres da tua irmazinha, que te ama mais do que a vida.
Parabéns, adoro-te!

2 comentários:

  1. É bonito e, melhor, é óptimo ter um sentimento assim por alguém :) Parabéns *

    ResponderEliminar